o que é dv

O que é DV da conta? Tire as suas dúvidas aqui!

Todos nós já entramos em contato com um DV em algum momento da vida. Mas você sabe o que é DV?

A sigla significa dígito verificador, e a sua utilidade vai além das contas e agências bancárias. Se você quer saber mais detalhes sobre o DV, continue lendo este artigo. Vamos falar sobre o dígito e abordar especialmente o contexto bancário.

Leia também: Onde fica o número do cartão? Entenda já!

O que é DV da conta?

DV é uma sigla que significa “dígito verificador”. Algumas vezes ele também pode ser chamado de “algarismo de controle”. O dígito verificador está, normalmente, logo após o traço de algum código numérico. Mas isso ainda não responde o que é DV.

Como praticamente tudo no universo financeiro, o DV está ali por um bom motivo. Aliás, em todos os seus usos, mesmo fora desse contexto relacionado à finanças, ele é de extrema importância. Ele desempenha um papel que é fundamental para a segurança de diversas informações.

Como o termo sugere, esse dígito é um verificador. Ou seja, sua função é verificar. Mas o que exatamente um simples dígito pode verificar? Muito mais coisas do que se pode imaginar em um primeiro momento. Mas se fosse para resumir em uma palavra, seria: autenticidade.

Isso acontece porque o DV é um instrumento utilizado para atribuir veracidade ao restante dos números informados. Dessa forma, o dígito verificador consegue garantir que os números são, de fato, autênticos. Assim, é possível aproveitar o uso do dígito para uma série de funções relacionadas a legitimidade de uma informação.

Para que serve o Digito Verificador?

Evitar fraudes é provavelmente a função mais importante de um dígito verificador.

Quando sistemas podem ser fraudados, normalmente esse erro é explorado exaustivamente por criminosos. Então quanto mais “a prova de fraudes” um sistema for, melhor. E aí entra outra função do DV, que é ajudar a evitar que fraudes aconteçam.

Essa prevenção acontece justamente porque o dígito verificador garante que algumas informações estão corretas. Essa garantia existe através do sistema utilizado para verificar a autenticidade de um valor numérico.

Evitar erros comuns

Continua após a publicidade

💳 Você foi selecionado para ter um cartão de crédito que não cobra anuidade, com limite de até 7 mil reais e com aprovação na hora.

Solicite seu cartão!

Aproveite a oportunidade

💳 O BTG+ oferece benefícios e experiências únicas para quem quer um cartão cartão de crédito sem anuidade e que entende suas necessidades.

Solicite seu cartão!

Evitar fraudes é, de fato, muito importante. Mas a verificação de autenticidade acontece mesmo que os erros tenham acontecido sem querer.

Vamos tomar como exemplo o número 210.776-1.

  • 120.776-1 – Com uma troca de ordem;
  • 310.776-1 – Com erro na digitação de uma tecla;
  • 210.76-1 – Com um número digitado a menos;
  • 210.7776-1 – Com um número digitado a mais;
  • 210.773-1 – Caso o número “seis” tenha sido falado e entendido como “três”.

Enfim, todos esses casos também são protegidos pelo dígito verificador.

Onde fica o  DV na minha conta?

O DV costuma ser posicionado depois de algum outro código numérico. Normalmente, para não se misturar ao próprio código, ele é separado por um traço ou por um espaço. Para exemplificar, podemos aproveitar o mesmo código de números que usamos para o exemplo anterior.

Então se a sua conta bancária for 210.776-1, o DV é o “1” que vem logo depois do traço.

Ou seja, encontrar e reconhecer um dígito verificador é uma tarefa consideravelmente fácil.

Outros dígitos verificadores

O dígito verificador também pode ser encontrado em outros lugares.

Se você é um brasileiro que tem CPF, com certeza já viu um DV. No CPF, ele fica localizado depois do traço, ou seja, são dois números.

Assim como o CPF, em alguns lugares o RG também pode ter um DV no final. Mas isso depende do estado e do órgão emissor, ou seja, não é regra.

Outro documento com DV muito importante para empresas é o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas). Esse é um número que funciona como um CPF, só que para identificar empresas.

Calculando o que é DV

Para ajudar a entender como pode ser feito um cálculo de dígito verificador, vamos dar um exemplo. Nosso exemplo terá como base o CPF, que é emitido pela Receita Federal. Ele é um documento muito conhecido e que sempre tem DV.

Continua após a publicidade

Você sabe conferir a validade de um número de CPF?

Imagine o seguinte número de CPF: 123.412.345-26.

  • Os oito primeiros dígitos são o número base do CPF. Nesse caso, 12341234.
  • O nono dígito representa a região fiscal de um CPF. Nesse exemplo, é o 5.

A partir daí, entra em cena o DV.

  • O 10º dígito, que é o penúltimo, é o primeiro DV.
  • 0 11º (e último) dígito é o segundo DV.

Isso significa que o CPF não tem apenas um DV de dois algarismos, mas sim dois dígitos de verificação diferentes.

Mas como descobrir a validade do CPF em questão partir do DV? Fazendo o cálculo.

Como fazer o cálculo do DV do CPF?

Como falamos, o CPF conta com dois dígitos verificadores.

Verificando o primeiro DV

Primeiramente, precisamos multiplicar cada um dos primeiros 9 dígitos do CPF por um algarismo na sequência: 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3 e 2.

No exemplo em questão, as contas seriam: 1x10, 2x9, 3x8, 4x7, 1x6, 2x5, 3x4, 4x3, 5x2.

Depois é preciso somar os resultados. Ou seja, calcular 10 + 18 + 24 + 28 + 6 + 10 + 12 + 12 + 10. A soma, nesse caso, é 130. Agora, dividimos esse resultado por 11. Logo, 130 dividido por 11 é igual a 11 inteiros e mais o resto. É esse resto que interessa para o cálculo.

O resto dessa divisão é 9. E para encontrar o primeiro DV precisamos fazer a subtração: 11 menos o resto. Nesse caso, 11 – 9 = 2.

Continua depois da publicidade

Assim, chegamos no número 2, que é o primeiro dígito verificador desse CPF.

Observação: caso o resto fosse 0 ou 1, o DV seria a zero.

Verificando o segundo DV

O cálculo do segundo DV é praticamente igual. A diferença é que agora o CPF tem um dígito a mais para ser verificado. Assim, a sequência de multiplicação começa no 11 e vai até o 2.

Assim, a multiplicação seria: 1×11, 2×10, 3×9, 4×8, 1×7, 2×6, 3×5, 4×4, 5×3, 2×2. Depois, a soma seria: 11 + 20 + 27 + 32 + 7 + 12 + 15 + 16 + 15 + 4. O resultado é 159.

159 dividido por 11 é igual a 14 inteiros e o resto é 5. Finalmente, 11 – 5 = 6. Ou seja, 6 é o último DV do CPF em questão.

Lembrando: se o resto fosse 0 ou 1, o DV seria zero.

Finalmente, utilizando o DV, podemos constatar que o número em questão representa um CPF válido.

Importante: a validade de um número não garante necessariamente que o CPF existe de verdade. O cálculo determina apenas o potencial. Dessa forma, empresas conseguem saber se o número informado no cadastro representa um CPF potencialmente válido.

Leia também: Código dos bancos: veja a lista atualizada!

Esperamos que você tenha gostado de entender o que é DV. Se você conhece alguém que gostaria de saber mais detalhes sobre o dígito verificador, compartilhe este artigo!

E para mais dicas e informações sobre segurança e finanças, continue acompanhando o Meu Cartão de Crédito!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
Plano Premium BTG+

Plano Premium BTG+: cheio de vantagens para você!

Próximo
BTG+ Go

BTG+ Go: Adeus, filas! Conheça a tag e comece a usar

Posts Relacionados